Daniel Ricciardo …. “O piloto atrevido merece mais”.

Por Carlos Frederico Pereira da Silva Gama.

Nem Sebastian Vettel. Nem Lewis Hamilton. Nem Valtteri Bottas. Nem Kimi Raikkonen.

O único piloto a beber o champagne nos últimos 3 GPs de 2017 o bebeu no próprio sapato.

Eleito o Melhor Piloto do Mundo em 2016 pela renomada publicação especializada Autosport.

O primeiro piloto da Red Bull: o australiano meio italiano Daniel Ricciardo.

 

RICC.jpg

Daniel Ricciardo faz o clássico “shoey”. Ao fundo, o segundo piloto da Red Bull, Max Verstappen.

 

Sem equipamento para desafiar imbatíveis Mercedes e Ferrari, Ricciardo manteve a consistência.

Segurou a pressão de carros superiores (e também de potências emergentes como as Force India) e subiu ao pódio seguidamente, em Montmeló, Montecarlo e Montreal.

Em 24 GPs ao lado do jovem Max Verstappen, largou 14 vezes na frente – uma delas, a memorável pole em Montecarlo. Ricciardo obteve 11 pódios contra apenas 8 da jovem promessa holandesa.

Mais importante: Ricciardo obteve no período 51 pontos a mais que o segundo piloto do time.

Sem competição na Red Bull, fica no ar uma inquietante perturbação: Ricciardo merece algo mais.

Mas onde? Especulações o colocam na Ferrari e Mercedes. Elas parecem opções pouco prováveis.

 

RICC2.jpg

Após esmagar a concorrência na Red Bull, o Abusado merece mais.

 

Líder do Mundial, Vettel perdeu apenas uma vez para um companheiro de equipe. O responsável foi o abusado australiano, em 2014. Isso diminui chances de Ricciardo chegar à Scuderia em 2018.

 

RICC3.jpg

Ricardão, único a fazer Lemãozim Rapidim sorrir amarelim.

 

Hamilton e os demais candidatos ao título passaram maus bocados nas mãos do Abusado. Em suas 4 vitórias na F1, em condições climáticas variadas, o australiano da Red Bull soube combinar ousadia nas ultrapassagens, longos stints com diferentes sets de pneus e capacidade decisória.

 

RICC4.jpg

Última vitória da Red Bull na F1: Sepang, Malásia, 2016.

 

Adrian Newey parece ter perdido o toque de Midas. Obras de arte aerodinâmicas ficaram aquém das anteriores. Com um motor Renault frágil e problemas com pneus, a Red Bull ficou para trás.

 

RICC5.jpg

 Fluidez do RB13.

 

RICC6.jpg

Mad Max e o Motô Renô: Fumô!

 

RICC7.jpg

A culpa é do “peneu”.

 

Enquanto os finlandeses se mantém à distância da disputa pelo título, o sapato de Ricciardo mantém a liderança no resto do grid. No papel que Nélson Piquet exerceu na Benetton e Ayrton Senna na Lotus, o narigudo luta o bom combate dignamente, para além das armas à disposição.

 

RICC8.jpg

Mestre Nélson Piquet: brilho sobre os limites da Benetton.

 

Em Montreal, Ricciardo segurou as Force India dezenas de voltas e não deu esperanças a Vettel.

Se Newey e a Renault se recusam a ajudar, alguém na Red Bull se recusa a desistir ….

 

RICC9.jpg

Atrevido!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: